ética

A contribuição do pensamento grego para a formação moral - João Cardoso de Castro

Muito pode se falar sobre o certo e o errado, e em nosso dia-a-dia julgamos, consciente ou inconscientemente, pessoas a nossa volta, seus hábitos e comportamentos. Quando se trata de filosofia, por sua vez, questiona-se como deveríamos viver, quais os comportamentos ideais e se existe uma disciplina filosófica que poderíamos chamá-la de prática, esta seria, sem dúvida, a Ética. Toda reflexão que pretende identificar a melhor forma de viver e conviver se articula, necessariamente, com o estudo da moral. 

É lugar comum a ideia de que a crise ética que vivemos nos dias de hoje tem sua origem na perda de valores e normas que, de alguma forma, vem à tona no período moderno, com o surgimento de sociedades complexas, com uma pluralidade de crenças, ideologias e comportamentos. O advento da Reforma, por exemplo, (e das inúmeras correntes protestantes oriundas deste processo) cria uma cisão no Cristianismo, que fundamentava-se como principal referência ética desde a Antiguidade. Outros sugerem que esta crise "espiritual", sem precedentes, que atinge a civilização ocidental seja fruto da irrefreável produção de bens materiais e simbólicos que, amarrados a uma visão liberal, é capaz de fazer “brotar” em nós uma ambição quase capilar por toda esta parafernália produzida. 

Ética: um instrumento do desenvolvimento humano - Fernando A. D. Fernandes

O filósofo Teilhard de Chardin coloca no centro de suas especulações sobre o desenvolvimento humano o fenômeno da elevação da consciência, que receberia a contribuição da interação social entre os indivíduos e entre os grupos coletivos, células de um único corpo evolutivo que necessariamente devem se complementar avançando para um crescimento valorativo das potencialidades individuais e coletivas.

O homem, em geral, idealiza o mundo ao seu entorno equiparando-o à sua própria natureza e personalidade, construindo uma ética pessoal própria, moldando esta e a relacionando com o que observa ao seu redor, idealizando uma ética com base no comportamento de seus conviventes e da sociedade onde vive sua realidade, a qual compara à sua e que resulta em valores e princípios que utiliza como verdadeiros, tornando-se isto um dos principais problemas da modernidade, ou seja, a idealização de uma ética coletiva pautada na prática de valores pessoais ou a extensão dos valores pessoais como a verdade dos valores coletivos.