Edital de Seleção PICPq - 2016/2017

O PICPq apoia estudantes e docentes dos cursos de graduação e pós-graduação do UNIFESO no desenvolvimento de pesquisas científicas, fundamental para a qualidade dos serviços educacionais e assistencias, e, de forma ampla, para o desenvolvimento da sociedade. A iniciação científica é um diferencial na formação dos nossos estudantes.
 
A Reitoria do Centro Universitário Serra dos Órgãos faz saber aos docentes, discentes e funcionários técnico-administrativos que, em conformidade com o Programa de Iniciação Científica e Pesquisa do Centro Universitário Serra dos Órgãos – PICPq / UNIFESO e através do Plano de Incentivo à Iniciação Científica e a Pesquisa, que estarão abertas as inscrições para seleção de projetos de pesquisa científica e tecnológica, no período 12 à 29 de Maio de 2016. Integram-se ao PICPq/UNIFESO os projetos apoiados em programas externos como: Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica – PIBIC e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Tecnológica e Inovação – PIBITI do Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Científico – CNPq; Programa Jovens Talentos – FAPERJ.
 

Um novo olhar uma nova proposta a você: professor - Mônica de Souza Corrêa

Não é possível fazer uma reflexão sobre o que é a educação sem refletir sobre o próprio homem (Paulo Freire)

 

O homem é um sujeito que vive em processo de evolução constante e traz consigo uma série de questionamentos, principalmente aqueles voltados para a “informação” e sua relação com o desenvolvimento.

As Tecnologias Digitais e Midiáticas da Informação e Comunicação (TDMIC) passaram a permitir ao homem imperar sobre a informação, já que esta é parte integrante de qualquer atividade humana, seja ela individual ou coletiva. Nos dias de hoje é impossível pensar em desenvolvimento sem tecnologia, vê-se como exemplo a educação a distância, livros digitais, computadores, caixa eletrônico, correio eletrônico, usamos a tecnologia para nos divertir, fazer amizades, trabalhar, cuidar da saúde, nos comunicar.

E agora, presidente? - ​Roberta Montello Amaral

Sim, presidente! Aprendi na minha infância que presidente era uma palavra que servia a ambos os gêneros, masculino e feminino. Então, seguindo na mesma direção da votação do último domingo na Câmara dos Deputados, contrariando o que gostaria a Sra. Dilma Rousseff, mantenho o meu português em dia e o processo de impeachment segue para apreciação do Senado nesta semana. Mas, como esta se trata de uma coluna de economia, o que devemos esperar para os próximos dias?

Nos últimos meses o que vimos foi um resgate de tempos do passado, quando a inflação e a falta de crescimento afetaram diretamente a sociedade brasileira. Voltamos aos anos 80/90, quando o sonho do milagre econômico da década de 70 desmoronava. Na última segunda-feira, acordamos com a sensação de que, mais uma vez, o sonho de uma sociedade se desmonta.

A inflação medida pelo IPC-FESO, o índice de preços ao consumidor de Teresópolis, no mês de março de 2016 apresentou um acréscimo de 2,67%, o que não só representa uma elevação bastante relevante, como também está bem acima do verificado no bimestre anterior. Este valor foi impactado diretamente pelo acréscimo de alguns produtos que não apresentam sazonalidade, como as massas. Nos últimos 12 meses a variação do IPC-FESO voltou a subir, alcançando 22,27%. Tal comportamento, tenho convicção, é resultado da crise política que vive o país. Diante da disponibilidade de novas notícias ligadas à operação Lava Jato e discussão do impeachment da presidente Dilma Rousseff as incertezas crescem e, já se sabe há muito tempo, incerteza implica, diretamente, em inflação.

Palestra do curso de Direito

O curso de Direito do UNIFESO promove, no dia 29 de abril, a palestra “Feminicídio - Uma análise sociojurídica da violência contra a mulher no Brasil” com a participação da Dra. Adriana Ramos de Mello, Juíza Titular da I Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. Voltada a estudantes, professores e profissionais de Direito e demais interessados a atividade acontece a partir das 19h na Sala do Tribunal do Júri, no sexto andar do prédio Flavio Bortoluzzi de Souza, no Campus Antonio Paulo Capanema de Souza (Alto). Inscrições na coordenação do curso de Direito.

Observatório Jurídico

Operação Formiga
Ana Lúcia Torres dos Santos*

 

Em tempos de desfile de horrores no noticiário, de descrença geral, de desânimo e falta de delicadeza e respeito, o que há de errado e o que podemos fazer a respeito?

Tenho presenciado, como profissional, cenas tristes como pessoas que choram porque perderam o emprego e estão desesperadas por não terem direito ao seguro desemprego, porque as regras mudaram e, em consequência, não têm como se manter nem aos seus dependentes. Outras choram porque não conseguem remédios e passe livre para realizar seus tratamentos com dignidade, para minimizar as suas dores, outros porque não tem acesso à educação digna, lutando alguns, bravamente, para manter o ensino de pé, em condições mínimas, sem desistir.

Por outro lado, vejo muitas pessoas de olhos pregados em telinhas que, absorvendo toda a sua atenção, não as deixam ver o que se passa ao seu redor. Há pessoas que sequer se cumprimentam, passam umas pelas outras como postes. Não se oferece ajuda, sobra rispidez.

Bate papo com o autor: Novo Código Florestal

O curso de Direito do UNIFESO promove no dia 11 de abril palestra com o Prof. Dr. Pedro Curvello Saavedra Avzaradel, com o tema “Novo Código Florestal: enchentes e crise hídrica no Brasil - A ocupação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e os riscos relacionados à ocorrência de chuvas”, a partir das 19h, na Sala do Tribunal do Júri, no sexto andar do prédio Flavio Bortoluzzi de Souza, no Campus Antonio Paulo Capanema de Souza (Alto). Inscrições na coordenação do curso de Direito.

A formação do pedagogo no UNIFESO - Gicele Faissal de Carvalho

Tem dias que a gente se sente / Como quem partiu ou morreu / A gente estancou de repente / Ou foi o mundo então que cresceu (Chico Buarque)

 

O mundo então cresceu, mudou.

A sociedade mudou.

E a escola... é muda.

Cadê o tablado que estava aqui?

O tempo tirou.

Farão tudo o que o mestre mandar?

Não! Vamos dialogar!

E assim começa a transformação tão esperada da/na educação.

De acarajés no cerro ao silêncio dos cidadãos - Ana Maria Gomes de Almeida

Instigados por saber como os cidadãos de Teresópolis lidam com a prática da corrupção, professores e estudantes dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Direito do UNIFESO fizeram uma rápida enquete aos frequentadores da última FEPRO.

Dentre os 1178 respondentes, 95% responderam que se sentem atingidos pela corrupção e 80% se declararam dispostos a denunciar casos de corrupção.

Significativo e alentador resultado. Você não acha, leitor?

Pois é... mas fiquei instigada em saber os motivos alegados pelos 20% que afirmaram que não denunciariam.

Páginas